EDUCAR É FÁCIL?

Foto de 2014

Foto de 2014

PRA QUEM ACREDITA QUE EDUCAR É MOLEZA!

Para quem não tem filhos, analise muito sua vida antes desta importante decisão! E para muitos nem é recomendado ter! Quem não quer abrir mão de sua vida de solteiro, das baladas, dos vícios, de horas de sono, ou do seu programa de TV favorito, desista!

Preciso dizer que hoje não está fácil! Sabe aquele dia que você ensina, ensina, ensina (3 milhões de vezes) alguma coisa e parece que não entra na cabeça da criança? Pois é, estou nessa!

Ai vem aquela vontade de deixar elas na sala assistindo televisão enquanto eu faço tudo por elas. Vai ser mais rápido, eu não vou precisar ficar falando, explicando ou mandando fazer, vai sair do meu jeito, sem neura e sem me preocupar em fazer novamente depois! Mas não, eu insisto em fazer do modo mais complicado.

Tudo começa quando elas acordam, eu peço para tomar café, ir escovar os dentes, tirar o pijama e arrumar as camas. Sim, eu falo para fazerem isto todos  os dias, e não fico sentada gritando, vou junto (principalmente com a Manu). Depois é claro de ter arrumado a minha cama, trocado o meu pijama, enfim, de ter feito a minha parte para não cobrar sem fazer também.

Quando eu trabalhava fora eu fazia muito por elas de manhã, elas saiam dormindo de casa, trocava elas e as camas fazia na hora do almoço quando não dava tempo de manhã. Mas em casa é diferente, elas podem fazer sozinha (só a Manu que ajudo um pouco mais), a Elisa já faz tudo sozinha, tem dias que eu nem preciso pedir, mas em outros…preciso implorar   !

Na hora do almoço peço para recolherem os brinquedos mas, a mesa, o banheiro parecem muito mais adequado para os brinquedos estarem do que nas caixas de brinquedos… começam a recolher e daqui  a pouco estão brincando sem ter terminado de pegá-los. Falo de novo, vou junto, ameaço não dar suco na hora da refeição. Depois de quase perder a fome, tudo pronto!

Na hora do almoço a conversa é para convencer a comer os legumes e verduras. A Manu esta passando pela fase da miniadolescência (fase de transição dos 18 meses a 3 anos em que a criança deixa de ser bebe e quer afirmar sua independencia) esta muito seletiva pra comer, preciso fazer um cardapio variado, colocar no prato e ficar oferecendo. Ainda tem os alimentos que ela não pode comer … Como não sabia muito bem sobre esta fase quando a Elisa parou de comer, tem alguns que eu nem fazia e outros nem oferecia, agora que estou tentando aumentar seu cardapio. Com a Manu estou fazendo diferente ela come mais frutas que a Elisa, ofereço primeiro o que não gosta e dou menos leite (hoje se tivesse que ensinar de novo não daria açúcar até completarem 2 anos), assim esta com muita fome na hora do almoço. Preciso também insistir para comerem sozinhas, elas gostam que eu coloco a comida na boca, e parece que elas comem mais quando eu faço isto (principalmente na frente da TV), mas preciso insistir para elas fazerem sozinhas. Mesmo assim tem dias que a Manu sai da mesa sem ter colocado uma colher na boca…

A Elisa esta cursando o primeiro ano do ensino fundamental, lê algumas palavras e ainda não escreve com letras cursiva, e a impressão é que nunca vai conseguir. Por mais que seja uma fase e com certeza ela vai passar, (todos um dia não sabiam ler e escrever!) este período exige muuuuuita paciência. Assim também quando elas estavam aprendendo a engatinhar e andar, como algo tão fácil pra mim era tão difícil pra elas? E para aprender a andar de bicicleta então? Não, elas não vão acordar de manhã sair da cama sentar na bicicleta e sair andando, pode esquecer (mesmo eu desejando do fundo do meu coração!)

E foi assim para desfraldar, para desmamar, para aprender a arrumar a cama, escovar os dentes, tomar banho, para falar, para se trocar, se organizar, lavar louça (a Elisa já esta me ajudando nisto) etc… Só não precisei de muito esforço para gostarem de comer doce, carne, batata frita, refrigerante, assistir TV, enfim, tudo o que não faz bem. Alem de ensinar a fazer é importante elas observarem como eu faço, precisam se apaixonar pelo que estão fazendo.

Educar requer muito sacrifício, perseverança, paciência e firmeza. As crianças precisam da rotina estabelecida pelos pais e precisam cumpri-las corretamente, com hora pra comer, pra dormir, pra brincar, sem sabotagem. Manter a prática firme da educação e criar o seu hábito levam a consistência e a segurança da criança. Lembre-se que o tempo gera o hábito. O hábito gera economia.

Vejo alguns pais com problemas para ensinar seus filhos a dormir, deixam livres para dormirem quando as crianças tem sono, chegando a exaustão. Nem sabem o mal que fazem! Quando a criança não aprende a dormir sozinha e corretamente seu organismo é comprometido:  “Se o pequeno acorda várias vezes por noite, pode ter alteração de concentração e déficit de aprendizado”, afirma Maria Amparo Martinez, pediatra do Hospital Santa Catarina, em São Paulo. A privação de sono crônica tem reflexos ainda no crescimento e na imunidade.

Os pais precisam estar de acordo com o tipo de educação que querem para seus filhos, precisam ter o mesmo objetivo para o futuro que querem para eles, isto é fundamental! Não dá para um dizer que deve dormir cedo e o outro deixar ir dormir tarde, por exemplo. Assim, a força estará concentrada na união e na aprovação sobre a forma de se educar, em comum acordo. A criança percebe o conjunto coerente. Os pais precisam estar felizes um com o outro, os filhos notam quando o relacionamento não vai bem, tornando difícil educar.

No dia.a.dia é que se constrói a educação, portanto, a sua manutenção persistente é fundamental. A constância permite um resultado bem melhor (penso muito sobre isto quando quero desistir). Estes momentos de aprendizado nos aproxima, gera intimidade.

Quando nossa relação fica tensa e pareço que vou explodir, entro no quarto e fico lá contando até mil, respiro devagar, e fico imaginando elas sorrindo e correndo em um campo verde lindo com um céu azul cheio de nuvens branquinhas. Também consigo me concentrar melhor e me recompor depois do que aprendi sobre a solidão . Pra quem não consegue se controlar eu recomendo ajuda profissional. Só não vale perder a paciência nesta fase unica que vão levar pro resto da vida em suas memórias.

 

2 comments

  1. Sara Braz says:

    Educar nao é fácil não. Principalmente nos dias de hoje . esta dificil ser mãe nesta geração . so na convivencia do dia dia , o comportamento e o futuro . e muita oração .

Deixe uma resposta