SERÁ QUE DOU CONTA?

Quantas coisas uma mãe é capaz de fazer num dia? Já pensou quantas vezes parou pra respirar um pouquinho?

Sabe aquele dia que você torce pra acabar bem rápido?

Pois bem, hoje eu rezei e pedi pra Deus forças para chegar ao fim desse dia. Um dia que começou quase ontem… Bateu aquela insônia depois que a Manu acordou e veio pra minha cama às 4h00 da madrugada, não consegui pregar o olho depois.

Quando relógio anunciou 6:30 hrs, resolvi levantar e dar um jeito na casa, colocar roupa pra lavar, aproveitar aquelas horas antes da consulta da Manu, já que o sono me disse tchau. Não estava nem acreditando na quantidade de coisas que eu já havia feito antes das 8h da manhã. Acordar cedo realmente rende.

A consulta era em Maringá então, tive que repetir a xícara de café.

Conseguimos chegar em casa a tempo de almoçar e arrumar as meninas para ir a escola (13:32 e os portões ainda estavam abertos, ufa! Que corre corre!) Precisei dar comida na boca da Manu? Sim, ela comeu meio dormindo. Foram pra escola sem um banho? Sim. Pra mim o importante foi que conseguiram chegar na escola (podem me julgar se quiser…)

O sono chegou mesmo depois do almoço. Ate iria deitar um pouco e descansar, mas meu cachorrinho escapou… O que eu fiz? A doida aqui pegou a bicicleta e foi atrás dele. Fiquei uns 30 minutos rodando pelo bairro e nada do Bob.

Voltei pra casa muito triste, pelo Bob, por estar tão cansada, por ainda ter muitas coisas pra fazer, pela culpa de não ser uma mãe perfeita, por não dar conta, por ter tantos projetos e não saber qual direção tomar, por estar em casa (tô nessa vibe, com muita saudade de trabalhar fora e me sentir útil pra sociedade de novo), por não estar em uma carreira de sucesso, me senti culpada por querer voltar a trabalhar (como posso querer ficar longe das minhas princesinhas?) .  Nessas horas me sinto culpada até pela guerra na Síria!

Fui conversando com Deus, chorei, rezei, disse tudo o que eu estava sentindo, respirei bem fundo, fiquei ali por uns 15 minutos. Me senti muito mais leve, como se estivesse no colo de Deus, uma paz tão boa (apesar de ainda estar cansada). Continuei os meus afazeres. Minha mãe achou meu cachorro na padaria e veio me entregar. Meia hora antes de buscar as crianças na escola eu deitei para descansar, pisquei o olho e já havia passado da hora de buscá-las.

Uma musica pra meditar nesses momentos…

 

A Elisa sai mais cedo, já haviam ligado para meu marido. Estava lá toda triste e sozinha me aguardando. Levei uma bronca daquelas… Peguei a Manu e ainda conversei com a Professora dela, graças a Deus a Manu estava melhor do ouvido (noticia boa que a Otorrino deu hoje cedo).

Fiz uma polenta que a Manu ama, sem contar que é uma comidinha super rápida. Foi comer, tomar banho, contar historinha, rezar e dormir… tudo isso durou uma hora e meia. Elas também estavam cansadas, até queriam brincar, a Elisa queria assistir um pouco de televisão, mas não deixei. Aproveitei antes que o sono fosse embora, não teve doces agora de noite, teve um chororô, esse não falta quando o cansaço é grande e junta com a fome e a falta de vontade de tomar banho.

Agora estou aqui pensando se tomo banho, se como alguma coisa, se faço as unhas, se recolho a roupa do varal…

E ainda me perguntam o que eu faço durante o dia… Ás vezes nem acredito que eu consigo fazer tanta coisa (só sabemos a força que temos quando usamos)

A gente não sabe o que o outro passa, o que o outro pensa,quais os sentimentos mais profundos, não precisamos saber, precisamos amar o próximo, estender a mão de vez em quando e entregar pra Deus todos os nossos problemas… Ele sabe de tudo.

Senti que Ele estava aqui me amparando quando eu clamava seu nome.

Peço que Meu Senhor Jesus nunca me abandone e sempre me de forças para alcançar meus objetivos, e que meus sonhos seja os sonhos de Deus.

 

“Deus conhece o caminho; só ele sabe onde ela habita,
pois ele enxerga os confins da terra
e vê tudo o que há debaixo dos céus.
Quando ele determinou a força do vento
e estabeleceu a medida exata para as águas,
quando fez um decreto para a chuva
e o caminho para a tempestade trovejante,
ele olhou para a sabedoria e a avaliou;
confirmou-a e a pôs à prova.”
(Jo 28.23-27)

 

Deixe uma resposta