SOBRE CARREGAR AS DORES DO MUNDO

          SOBRE CARREGAR AS DORES DO MUNDO  

                                   “Te amar, por quem não Te ama, Te adorar, por quem não Te adora.
                              Esperar, por quem não espera em Ti, pelos que não creem eu estou aqui!”

              Estou sozinha, acabei de deixar minhas filhas na escola, agora eu posso chorar. Sinto que escrever alivia um                 pouco essa dor, essa angústia que trago aqui no peito. Tento ficar longe dos jornais, TV, não quero ouvir                         notícias sobre guerras, violência, mas isto é impossível. A crueldade está lá na Síria, está aqui no Brasil, aqui                 na minha cidade, não tem pra onde correr. Não é este mundo assustador que quero pras minhas filhas, não é             este mundo que eu pinto pra elas. Aqui o mundo é muito mais colorido, as pessoas são legais e gentis, o                         governo existe pra nos ajudar, os policiais são heróis e não deixam a gente andar sem cinto de segurança. Sei               que não vou conseguir preservá-las de tudo. O bem o mal existe, é uma questão de escolha. Elas poderão                       escolher, quero que tenham uma base sólida no amor pra escolher corretamente.

Fico aqui pensando: de onde vem tanto ódio? Tanto rancor? Tanta maldade? Tanta crueldade? O que estas pessoas buscam? Minha consciência pesa, acredito que todos nós somos culpados de alguma forma, pelos nossos pecados, que acreditamos ser os menores; pelas vezes que não orei, que não clamei a Deus pela humanidade; que julguei  meu próximo, pelas vezes que não fui paciente; quando não ajudei aquele que tinha fome e frio. Porque será que algumas pessoassão tão más? Onde aprenderam? Será que alguém foi tão mal assim pra elas também? Como se comportavam quando eram crianças? Será que elas tiveram alguma explicação? Será que conhecem Deus? Eu me derramo, a tristeza quer morar aqui no meu peito. Respiro fundo, as meninas não podem me ver neste estado lamentável. Me recomponho. Não só por elas, mas porque eu acredito no amor, eu acredito que se tratarmos bem nossas crianças hoje, amanhã nosso mundo será melhor. Pra mim esta é a SOLUÇÃO! Ensinar nossas crianças a respeitar, amar o próximo, compartilhar, AMAR, ensinar que Deus existe e que
Somos joias raras, todos tem seu valor. Precisamos ensinar elas a não olhar raça, cor ou classe social, que o pão nosso que vem do suor tem sabor melhor do mundo. Precisamos muito mais, é preciso ser exemplo!

Agora vou voltar para minha casa, para minhas filhas, preciso do meu sorriso, preciso ser forte, ter fé nEstou sozinha, acabei de deixar minhas filhas na escola, agora eu posso chorar. Sinto que escrever alivia um pouco essa dor, essa angústia que trago aqui no peito. Tento ficar longe dos jornais, TV, não quero ouvir notícias sobre guerras, violência, mas isto é impossível. A crueldade está lá na Síria, está aqui no Brasil, aqui na minha cidade, não tem pra onde correr. Não é este mundo assustador que quero pras minhas filhas, não é este mundo que eu pinto pra elas. Aqui o mundo é muito mais colorido, as pessoas são legais e gentis, o governo existe pra nos ajudar, os policiais são heróis e não deixam a gente andar sem cinto de segurança. Sei que não vou conseguir preservá-las de tudo. O bem o mal existe, é uma questão de escolha. Elas poderão escolher, quero que tenham uma base sólida no amor pra escolher corretamente. Fico aqui pensando: de onde vem tanto ódio? Tanto rancor? Tanta maldade? Tanta crueldade? O que estas pessoas buscam? Minha consciência pesa, acredito que todos nós somos culpados de alguma forma, pelos nossos pecados, que acreditamos ser os menores; pelas vezes que não orei, que não clamei a Deus pela humanidade; que julguei  meu próximo, pelas vezes que não fui paciente; quando não ajudei aquele que tinha fome e frio. Porque será que algumas pessoas são tão más? Onde aprenderam? Será que alguém foi tão mal assim pra elas também? Como se comportavam quando eram crianças? Será que elas tiveram alguma explicação? Será que conhecem Deus? Eu me derramo, a tristeza quer morar aqui no meu peito. Respiro fundo, as meninas não podem me ver neste estado lamentável. Me recomponho. Não só por elas, mas porque eu acredito no amor, eu acredito que se tratarmos bem nossas crianças hoje, amanhã nosso mundo será melhor. Pra mim esta é a SOLUÇÃO! Ensinar nossas crianças a respeitar, amar o próximo, compartilhar, AMAR, ensinar que Deus existe e que somos joias raras, todos tem seu valor. Precisamos ensinar elas a não olhar raça, cor ou classe social, que o pão nosso que vem do suor tem sabor melhor do mundo. Precisamos muito mais, é preciso ser exemplo!

Agora vou voltar para minha casa, para minhas filhas, preciso do meu sorriso, preciso ser forte. Precisamos!

“Te amar, por quem não Te ama, Te adorar, por quem não Te adora.
Esperar, por quem não espera em Ti, pelos que não creem eu estou aqui!”

PARA REFLETIR

 

Filme do francês Jean Artus-Bertrand mostra histórias de refugiados, de sobreviventes e de esperança. Quarto episódio é sobre amor.

2 comments

Deixe uma resposta